Avaliação de custo-utilidade como mecanismo de alocação de recursos em saúde

Article de journal


Auteurs / Editeurs


Domaines de Recherche

Pas d'articles correspondants trouvés.


Détails sur la publication

Sous-titre: revisão do debate
Liste des auteurs: Pinho, M., & Veiga, P.
Editeur: Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz
Année de publication: 2009
Journal: Cadernos de Saúde Pública (0102-311X)
Numéro du volume: 25
Numéro de publication: 2
Page d'accueil: 239
Dernière page: 250
Nombre de pages: 12
ISSN: 0102-311X
eISSN: 1678-4464
Languages: Potugais-Portugal (PT-PT)


Résumé

Estabelecer prioridades em saúde traduz-se em escolhas entre programas
alternativos e/ou entre pacientes ou grupos de pacientes.
Tradicionalmente, os economistas da saúde propuseram a agregação dos
ganhos de saúde, avaliados em QALYs, como forma de estabelecer
prioridades e maximizar o bem-estar social. Isso requer que o valor
social dos ganhos de saúde seja um produto dos ganhos em anos de vida,
qualidade de vida e número de pessoas tratadas. Resultados da revisão de
literatura sugerem que nem os potenciais ganhos de saúde são, por si
só, um determinante significativo de valor nem a regra da maximização
dos ganhos de saúde parece suficiente. O valor social de um ganho de
saúde parece não ser uma função linear dos ganhos de mortalidade e
morbidade, nem parece neutral às características dos doentes ou à
distribuição final de saúde entre a população. Paralelamente à revisão
do debate sobre o papel e limitação dos QALYs para a priorização dos
recursos da saúde, o artigo procura justificar a controvérsia de alguns
resultados empíricos, em particular, no que se refere à formação e
manifestação das preferências sociais.


Mots-clés

Health, Health resources


Documents

Pas d'articles correspondants trouvés.

Dernière mise à jour le 2019-13-08 à 00:45