O cosmopolitismo de Kant

Article de journal


Auteurs / Editeurs


Domaines de Recherche


Détails sur la publication

Sous-titre: direito, política e natureza
Liste des auteurs: Sckell S N
Editeur: Centro de Pesquisas e Estudos Kantianos "Valerio Rohden" [CPEK]
Année de publication: 2017
Journal: Estudos kantianos (2318-0501)
Lexique des acronymes: EK
Numéro du volume: 5
Numéro de publication: 1
Page d'accueil: 199
Dernière page: 213
Nombre de pages: 15
ISSN: 2318-0501
Languages: Potugais-Portugal (PT-PT)


Résumé

Neste ensaio, apresento o conceito de direito cosmopolita por Kant como o direito que considera o ser humano como um cidadão do mundo, independentemente do seu Estado. Analiso como o direito internacional atualmente protege a liberdade formalmente no nível cosmopolita no caso de dois instrumentos: a petição individual em questões de direitos humanos e direitos trabalhistas e a responsabilidade individual por crimes internacionais (que Kant tinha em vista com seu conceito de “direito cosmopolita”). Em seguida, analiso como a proteção da liberdade em dois fóruns internacionais exige o desenvolvimento de políticas específicas para a proteção de certos grupos, o que é amplamente motivado pelo monitoramento do trabalho desses fóruns por ONGs e outras associações civis. A partir dessa análise, mostro que o conceito kantiano de direito cosmopolita deve estar intrinsecamente ligado a questões de identidade (análise das desigualdades sociais e de como os papéis e estereótipos sociais são construídos), bem como ao conceito de cidadania cosmopolita como prática de associações transfronteiriças em lutas políticas (em vez de conceitos como “sociedade mundial” ou “consciência coletiva”). Uma via necessária a ser seguida é a ligação, desenvolvida pelo Professor Leonel Ribeiro dos Santos, entre o cosmopolitismo e o cosmos.


Mots-clés

Pas d'articles correspondants trouvés.


Documents

Pas d'articles correspondants trouvés.

Dernière mise à jour le 2019-10-08 à 00:16