Relação mãe-filho(a) em bebés transportados junto ao peito e em bebés transportados em carrinhos

Journal article


Authors / Editors


Research Areas


Publication Details

Author list: Carvalho O, Bárbara C S, Fuertes M
Publisher: Associação Portuguesa de Psicologia
Publication year: 2019
Journal: Psicologia (0874-2049)
Volume number: 33
Issue number: 1
Start page: 55
End page: 64
Number of pages: 10
ISSN: 0874-2049
Languages: Portuguese-Portugal (PT-PT)


Abstract

Sabendo que o contacto físico é importante na relação mãe-filho(a), procurámos comparar a qualidade da interação mãe-filho(a) em dois grupos de estudo: Grupo 1) 20 bebés transportados junto ao peito das suas mães e Grupo 2) 20 bebés transportados em carrinhos ou outros meios auxiliares. Os dois grupos foram emparelhados por idade gestacional, peso gestacional, por idade da criança, sexo da criança, idades dos pais, nível socioeconómico, e nacionalidade. Os bebés tinham entre 6 e 36 meses (20 meninas, 13 primíparos) e não apresentavam problemas de desenvolvimento. A qualidade da interação mãe-filho foi avaliada em jogo livre através das escalas CARE-Index e MINDS. Comparativamente ao grupo 1, o grupo 2 apresenta melhor qualidade interativa (médias superiores de sensibilidade materna e de cooperação infantil). Estes dados corroboram a premissa de que mais importante do que proximidade é a forma como ela é estabelecida, que contribuirá para a qualidade da relação mãe-filho(a).
Taking that maternal touch is a key factor in mother-infant relationships, we aim to compare the quality of mother-infant interaction in two groups: Group 1) 20 infants carried next to their mothers' bodies and Group 2) 20 infants who were carried in trolleys or other aids for transportation. Infants were between 6 and 36 months of age (20 girls, 13 primiparous) without developmental problems. Both groups were paired by gestational age, birth weight, children sex, children age, parents’ age, SES and nationality. The quality of the mother-infant interaction was evaluated in a free play situation with CARE-Index and MINDS scales. Our findings indicate that Group 1, in comparison with group 2, had lower dyadic quality. These findings support the idea that more than body closeness, it is the quality of interaction where such closeness occurs, that contributes to the quality of mother-infant relationships.


Keywords

No matching items found.


Documents

No matching items found.

Last updated on 2019-21-10 at 11:30