Viver em acolhimento familiar ou residencial: O bem-estar subjetivo de adolescentes em Portugal = Living in foster or residential care: The subjective well-being of adolescents in Portugal

Article de journal


Auteurs / Editeurs


Domaines de Recherche


Détails sur la publication

Liste des auteurs: Carvalho JMS, Delgado P, Correia F
Editeur: Pontificia Universidad Católica de Valparaíso
Année de publication: 2019
Journal: Psicoperspectivas (0717-7798)
Numéro du volume: 18
Numéro de publication: 2
Page d'accueil: 1
Dernière page: 14
Nombre de pages: 14
ISSN: 0717-7798
eISSN: 0718-6924
Languages: Anglais-Royaume-Uni (EN-GB), Potugais-Portugal (PT-PT)


Résumé

O conceito de bem-estar subjetivo é complexo e multifacetado e relaciona-se com aquilo que cada pessoa pensa, avalia e sente sobre a sua própria vida, de acordo com a suas circunstâncias individuais e sociais. O objetivo deste estudo é comparar os níveis de bem-estar subjetivo das crianças em acolhimento familiar e em acolhimento residencial, relativamente às crianças na população geral, e compreender a influência no bem-estar subjetivo das crianças de fatores como a escola ou a relação que desenvolvem com pares e adultos. A amostra é composta por três grupos: 238 crianças que vivem na população geral, 145 em acolhimento residencial e 39 em acolhimento familiar. Os dados foram obtidos através da aplicação do questionário International Survey of Children's Wells Os resultados indicam que as crianças em acolhimento residencial têm um menor bem-estar subjetivo em comparação com os grupos de crianças em acolhimento familiar e na população geral. É essencial e urgente desenvolver programas de acolhimento familiar que proporcionem a um número crescente de crianças a possibilidade de crescerem num ambiente familiar, e requalificar as casas de acolhimento residencial em Portugal.


Mots-clés

Pas d'articles correspondants trouvés.


Documents

Pas d'articles correspondants trouvés.

Dernière mise à jour le 2020-06-02 à 11:33